A Que Se Referiu Jesus Quando Disse, “Eis Que Venho, Ó Deus, Para Fazer A Tua Vontade”?

4000 anos depois de ser profetizado, veio Jesus do ventre de uma mulher, cheio de fé e espírito de vitória para esmagar, a seu inimigo, a cabeça de Satanás. (Gênesis 3:15)  Ao entrar no mundo, chegou o período mais importante na história da humanidade, e Ele disse: “Eis que venho, ó Deus, para fazer a tua vontade.” Hebreus 10:7

Esta vontade foi clara. Isto implicava esmagar totalmente o poder de Satanás sobre o homem. Assim pois Deus preparou um corpo para Jesus. Um corpo da linhagem de Davi, segundo a carne. (Romanos 1:3)

Ele não foi o primeiro com um corpo assim. Na história de Israel através de 42 gerações Deus usou homens diferentes para se revelar, mas Satanás através de 42 gerações também teve a ocasião de continuar sua obra nos mesmos. Pense em Salomão, pense em Salomão. Ele construiu um templo para Deus, segundo a imagem que Deus tinha mostrado a Davi, por meio de um escrito feito com suas mãos. (1 Crônicas 28:19) Mas, embora Deus lhe tenha dado em grande medida sabedoria e conhecimento, Satanás venceu-o com muitas mulheres.

Jesus também recebeu um plano das mãos de Deus no rolo do livro. Um plano para uma nova criação, um novo templo sagrado, que Ele devia edificar. Não fora de seu corpo, como Salomão, mas dentro de seu corpo, um corpo terreno. Um corpo, assim foi o lugar de trabalho de Satanás durante 42 gerações. (Mateus 1:17) Mas agora Jesus, sob a guia do Espírito Santo, devia obter total vitória sobre o poder de Satanás. Isto se tornaria o corpo de Cristo, onde Cristo levaria toda a honra, os mandamentos de Deus ordenariam tudo, um corpo do qual Satanás estaria afastado. Esta obra foi extremamente grande.

Jesus começou esta obra com estas simples palavras: “Eis que venho, ó Deus, para fazer a tua vontade.” Então Deus concentrou todo o seu entusiasmo sobre o seu Filho amado. Todo o ouro, a prata, o cobre, vestes especiais, sim, tudo exterior, o humano, tudo o brilhante e de excelente aparência desapareceu, e depois de tudo a humanidade se tornou ostentosa, e a religiosidade do exterior foi lançada fora. (Isaías 53:2) Também desapareceu o altar e os sacrifícios, inclusive o antigo sacerdócio desapareceu. E no coração de Jesus, no homem interior criou-se uma nova oferenda e um novo sacerdócio.

Tudo foi movido de estar fora do corpo para estar dentro do corpo de Jesus. O próprio Jesus tornou-se o sacerdote que trouxe os sacrifícios que Deus lhe mostrou. Quando Deus condenou o pecado na carne de Jesus, Jesus respondeu com o que Paulo chama: “a morte de Jesus.” (2 Coríntios 4:10) Jesus cumpriu a sentença de morte pelo pecado condenado. Esta morte acabou com a vida das paixões e desejos da carne e tirou o pecado na carne, o que antes era impossível. (Hebreus 10:4) A cruz que Jesus levava todos os dias se converteu no altar onde o sangue da própria vida ainda fluía.

Assim edificou Jesus em silêncio, ninguém viu nem ouviu, pedra sobre pedra Ele trouxe um novo templo para a habitação de Deus. (Efésios 2:22) Por obediência ao mandamento de Deus, Jesus manteve a comunhão com Deus. A palavra se fez carne e apareceu a luz. Tudo isto veio por causa daquelas simples palavras que Jesus disse no princípio: “Eis que eu venho, ó Deus, para fazer a tua vontade.” Ou Pensa que nós temos tal precursor! Na manhã da ressurreição ficou claro que todo o sofrimento que veio com esta obra não foi comparável com a glória que Deus revelou nele. (Romanos 8:18)

No rolo do livro não só estava escrito sobre Jesus, mas também sobre nós. Nós também temos um plano escrito pelas mãos de Deus, uma imagem como a do Filho. Louvado seja Deus que pelo Espírito pode fazer esta imagem tão viva para nós de tal modo que o amemos e escolhamos voluntariamente seguir a tal Senhor de vitória com grande anelo.

Este artigo foi traduzido do norueguês, e foi publicado pela primeira vez na revista oficial da BCC “Skjulte Skatter” (“Tesouros Escondidos”) em fevereiro de 2003, com o título de: “Eis que venho, ó Deus!”

 A que se referiu Jesus quando disse,