Eu Realmente Preciso De Deus?

Sou cristã. Sou jovem. Creio em Deus. Creio na Bíblia. Creio que se viver segundo a Palavra de Deus, experimentarei uma transformação. Mas às vezes eu paro e penso. Existe um Deus?

E se Deus não existisse? Acho que também sentiria que a minha vida não foi em vão, porque eu ainda viveria uma vida boa, com Deus ou sem Deus. Mas também devo me perguntar: “Então não se pode viver segundo a Bíblia e a mensagem que ali há, sem crer em Deus?”

Por exemplo, quando me tratam de maneira injusta, sou capaz de abordar a situação da maneira correta? Quando sou tentado a dizer algo desrespeitoso a outro, posso escolher não o fazer? Também não vou deixar que pensamentos ruins sobre os outros se espalhem pela minha cabeça. Eu lutaria contra o pecado que vive em mim, como eu leio na Bíblia. Sem dúvida, tudo isso poderia conseguir sozinho. Não é necessário que exista um Deus para conseguir fazer tudo isto, ou sim?

Posso ser alguém bom sem Deus?

Se Deus não existe, há alguma razão para viver segundo a Bíblia? Sim, porque é uma boa mensagem depois de tudo. Mas, é possível? É possível me humilhar e não fazer minha própria vontade? Algumas coisas me resultariam fáceis enfrentá-las, outras coisas se tornariam em costume depois de um tempo. Mas, o que conseguiria realmente? Me tornaria mais agradável no trato com os demais? Um pouco mais? Chegaria a algum lugar? Chegarei alguma vez a terminar com as coisas que quero me purificar? Posso por si só pôr fim às tentações?

“Como todas as coisas que pertencem à vida e à piedade nos foram dadas por seu divino poder, mediante o conhecimento daquele que nos chamou por sua glória e excelência, por meio das quais nos deu preciosas e grandíssimas promessas, para que por elas se tornassem participantes da natureza divina, havendo fugido da corrupção que há no mundo por causa da concupiscência.”  2 Pedro 1:3-4.

Recebo parte da natureza divina?

Se acredito em Deus e busco poder Nele, então recebo ajuda para fazer o que é correto, ou seja, uma vontade mais forte para fazer a vontade de Deus e lutar contra o pecado que habita em minha natureza. Mas não só isso: também “recebo parte da natureza divina.” Podemos ler algo sobre esta natureza divina em Tiago 1:13, “. Porque Deus não pode ser tentado pelo mal, nem ele tenta ninguém.” Se recebo parte da natureza divina, então também sou livre de todo peso. À medida que luto mais contra a minha natureza maligna, recebo mais e mais repouso e liberdade desta. [ Até que já não incomoda!

Esta vida, esta liberdade, sobre a qual a Bíblia fala, dou-me conta que são inatingíveis em minha própria força. Portanto, eu percebo que Deus deve existir, porque caso contrário, de onde vem o poder? Como poderia uma nova vida ser criada, se não é o Criador quem o faz? Com a ajuda de Deus não preciso tratar de controlar toda a minha natureza a vida; a minha natureza pode verdadeiramente ser transformada para ser completamente liberta do pecado!

“Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não estejais outra vez sujeitos ao jugo de escravidão.” Gálatas 5:1.

Lutar a batalha contra a carne por minha conta é escravidão, pois nunca se chega a ser realmente livre, mas a natureza divina é liberdade!

A pergunta já não é se Deus existe ou não. A questão é se quero continuar a lutar com as mesmas porcarias toda a minha vida, ou se quero acabar com o pecado de uma vez por todas! Escravidão ou liberdade? A escolha é simples. Eu escolho a segunda opção.  Escolho crer em Deus e fazer Sua vontade para que Ele possa fazer um trabalho de transformação em meu interior. ¡ Porque este é o objetivo: Transformação!

 Eu realmente preciso de Deus?