O Dízimo E O Dia De Repouso – É Algo Que Se Deve Fazer Em Nossos Dias?

Jesus não veio para revogar a lei, mas para cumpri-la

Muita gente tem grande incerteza sobre se deveria continuar a dar dízimo no Novo Pacto, ou se ainda se deveria guardar o dia de repouso, que é o sábado, o sétimo dia santo. Alguns outros também se perguntam se era apenas algo para os judeus no Antigo Pacto. Ninguém pode negar que o sábado era um mandamento muito importante para Moisés e os profetas. Deus abençoou o sétimo dia e santificou-o na criação. No entanto, é estranho que precisamente este é o mandamento do qual Jesus foi acusado de romper mais.

Foi dito que Jesus veio para abolir o mandamento de guardar o sábado, mas isso não concorda com Suas palavras quando diz: “Não penseis que vim para revogar a lei ou os profetas; não vim para apelar, mas para cumprir.” Em outras palavras, Jesus não veio para abolir o mandamento do sábado, mas para cumpri-lo.

Se continuarmos a ler podemos ver como Jesus cumpriu a Lei dos Profetas: “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e qualquer que matar será culpado de juízo.  Mas eu vos digo que qualquer que se indignar contra seu irmão, será culpado de juízo. Ouvistes que foi dito: Não cometerás adultério.  Mas eu vos digo que qualquer que olhar para uma mulher para cobiçá-la, já adulterou com ela em seu coração.” Mateus 5:21-22, 27-28.

Assim é como Jesus cumpriu e considerou todas as leis. A lei não era perfeita, e lei do sábado não era a exceção. Se tomarmos esta lei no mesmo espírito com que Jesus falou, podemos dizer: “Ouvistes que foi dito: Lembra-te do dia de sábado para santificá-lo.” Mas eu vos digo que todos os dias são santos.” Lemos do sábado: “Se desviares do sábado o teu pé, de fazer a tua vontade no meu santo dia, e lhe chamares delícia, santo, glorioso de Jeová; e o venerares, não andando nos teus próprios caminhos, nem buscando a tua vontade, nem falando as tuas próprias palavras.”  Isaías 58:13. Quando consideramos as coisas que não deveríamos fazer no dia de repouso, devemos perguntar-nos: Será que eles foram autorizados a andar nos seus próprios caminhos e a falar palavras vãs nos outros dias da semana?

O espírito do sábado vs. as letras da lei

No Antigo Pacto tinham seis dias nos quais podiam trabalhar; cada um fazia sua própria obra. Mas o sétimo dia pertencia ao Senhor; por isso tinham que fazer o que o Senhor lhes mandava. É assim que Jesus se comportava? Em Isaías lemos que eles santificavam o dia ao não andar em seus próprios caminhos e não falar suas próprias palavras. Jesus cumpriu este mandamento; Ele santificou cada dia ao sempre fazer o que o Senhor lhe dizia e ao não buscar Sua própria vontade. Na Nova Aliança servimos sob o regime do Espírito e não sob o regime da letra. (Romanos 7:6) Os fariseus não podiam entender isso e acusaram Jesus de transgredir o mandamento do sábado. Entretanto, Jesus nunca transgrediu contra o espírito do sábado, nem mesmo quando Seus discípulos arrancaram espigas para comer. (Mateus 12:1-14; Marcos 2:23-28) Assim foi também como guardou todos os outros mandamentos, tal como quando não condenou a mulher que foi surpreendida em adultério. (João 8:3-11)

Embora os judeus no Antigo Pacto guardassem o dia de repouso conforme a letra, muitos deles não o guardaram no espírito. Estavam no espírito errado e não tinham descanso; só esperavam que o dia de repouso terminasse para poder vender trigo, reduzir a medida, aumentar o preço e falsificar a balança. (Amós 8:5) Em nossos tempos há muitas pessoas que podem ser chamadas “cristãos de domingos.” Tais pessoas vivem no espírito do mundo, mas aos domingos vão à igreja ou se reúnem, cumprem suas devoções e parecem piedosos. No entanto, quando chega na segunda-feira procuram novamente os seus próprios interesses.

Os apóstolos tinham chegado a uma vida totalmente diferente quando escreveram: “A palavra de Cristo habite em abundância em vós, ensinando-vos e exortando-vos uns aos outros em toda a sabedoria, cantando com graça em vossos corações ao Senhor com salmos e hinos e cânticos espirituais.  E tudo o que fazeis, seja de palavra ou de fato, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando graças a Deus Pai por meio dele.”  Colossenses 3:16-17.

Isto não se aplica apenas aos sábados ou domingos, mas todos os dias. Querer guardar o dia de repouso – o sétimo dia – zelosamente, vem de ser um ministro da letra e observar os dias, meses, temporadas e anos. Não obstante, é diferente com aqueles que se tornaram Seus filhos, já que Deus enviou o Espírito de Seu Filho a seus corações, e eles vivem e andam segundo este Espírito – não somente um dia por semana, mas todos os dias, a toda hora. (Gálatas 4:6-11)

Não é possível entrar no repouso sob a lei

Deus disse a Israel que o dia de repouso era um sinal entre Ele e eles. Israel não tinha paz no Egito, nem no deserto; todavia, Deus lhes havia dado o mandamento a respeito do sábado, como testemunho de que Ele os levaria ao repouso na Terra Prometida. No entanto, Josué não foi capaz de lhes dar descanso. (Hebreus 4:8) O povo foi desobediente e fizeram aliança com os inimigos. (Juízes 2:1-4) Mas as boas-novas foram-nos anunciadas: “Porque aquele que entrou no seu repouso também descansou das suas obras, como Deus das suas.”  Hebreus 4:10.

“E viu Deus tudo o que tinha feito, e eis que era muito bom.  e descansou no sétimo dia de toda a obra que fez.” Gênesis 1:31; Gênesis 2:1-3. Deus não teria podido descansar de Sua obra se não tivesse sido muito boa. Foi com Cristo que vieram os tempos de restauração de todas as coisas para que pudéssemos ser perfeitos segundo nossa consciência e repousar de nossas obras. (Hebreus 9:10) Tudo aquilo que têm Uma má consciência não encontra repouso, e eles sabem disso, seja no sábado, domingo ou segunda-feira. Mas aqueles que vivem no Espírito de Cristo e dão seus corpos como sacrifício agradável a Deus, pela fé, entram no repouso todos os dias e repousam de suas obras tal como Deus também o fez. (Hebreus 4:1-11)

Todas essas discussões e palestras sobre se devemos guardar o dia de descanso em sábado ou domingo vêm de uma falta de entendimento espiritual. Deus descansou de Sua obra quando a terminou, não lemos que voltou a trabalhar de novo. Sob a lei o povo trabalhava arduamente e se esforçava, mas não chegavam a nenhum lugar. Simplesmente não podiam guardar a lei de entrar no repouso. Por isso Jesus diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e carregados, e eu vos farei repousar.  Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas, porque o meu jugo é fácil e leve o meu fardo.”  Mateus 11:28-30.

O verdadeiro repouso do sétimo dia começou com Jesus. Levantou-se no primeiro dia da semana, e lá começou um tempo novo. Jesus é o que dá repouso; por isso é conveniente guardar o primeiro dia como o dia de repouso. As pessoas precisam de um dia por semana em que possam se desocupar de suas obrigações terrenas e ter tempo para se aproximarem da Palavra de Deus. Realmente não importa para uma pessoa que tem entendimento espiritual que dia é usado para o dia de repouso, já que ele dá seu corpo como sacrifício para fazer a vontade de Deus todos os dias; também, se ganha algum dinheiro, não o ganha no espírito de ambição ou mesquinhez, mas no Espírito de Cristo, e Ele é o seu administrador, pelo qual entra em repouso pela fé. (Atos 4:32; 1 Tessalonicenses 2:9; Efésios 4:28)

O dízimo – dar 10% ou 100%?

Dizimar é também um problema para muitos, simplesmente pelo fato de que servem sob a letra e não sob o Espírito. Mas, com base na explicação acima, também podemos entender a questão do dízimo. No Antigo Pacto, que era apenas uma sombra das boas novas que haviam de vir, tinham que dar 10% do que tinham ao Senhor, e podiam usar os outros 90% de acordo com seu próprio entendimento. Também fazia isso Jesus? A
caso veio para abolir o dízimo? Não, Ele veio com o que era perfeito; Ele se deu completamente, a 100% ao Pai. ¡ Por isso, pôde vir com a mensagem de que ninguém pode ser Seu discípulo se não renuncia a tudo! (Lucas 14:33)

Quando os apóstolos mencionaram algo sobre o dízimo? “Cada um dê como propôs em seu coração: não com tristeza, nem por necessidade, porque Deus ama ao doador alegre.” 2 Coríntios 9.7. (Leia 2 Coríntios 8 e 2 Coríntios 9). Sim, você diz, mas aqui se refere a dar presentes voluntários, que está além do dízimo. Se você pensa assim certamente significa que você está em escravidão. O dízimo não é voluntário; mas uma exigência de todos os membros. Sim As pessoas limitam-se a não pagar o dízimo, o que significa que não entraram no espírito do mandamento.

Dando no Novo Pacto

Está escrito que Jesus se despojou a si mesmo, tomando forma de servo e não estimou o ser igual a Deus. (Filipenses 2:5-8) Nosso Senhor Jesus Cristo voluntariamente se fez pobre, sendo rico, por nossa causa, para que nós com Sua pobreza sejamos enriquecidos. (2 Coríntios 8:9) Se vamos ser membros do corpo de Cristo, é necessário chegar à lei perfeita da liberdade. De acordo com esta lei, o dízimo e alguns presentes voluntários não são suficientes; devemos primeiro dar-nos completamente ao Senhor e à Sua igreja segundo a vontade de Deus. Uma vez que nos tenhamos dado ao Senhor, também demos tudo o que temos.

A perfeição ocorre através do Espírito de Cristo. É melhor ter comunhão com alguém que, por meio do Espírito de Cristo é um membro no corpo de Cristo, do que com centenas e milhares que andam na escravidão sob o regime da letra. É melhor receber um centavo que é dado de todo coração, a 100,000 dólares que são dados simplesmente por sentir que é um dever ou para mostrar uma boa aparência. (Marcos 12:41-44)

Sejamos diligentes para entrar no repouso. (Hebreus 4:11-13)

 O dízimo e o dia de repouso - É algo que se deve fazer em nossos dias?