O Que É A Santa Ceia, Ou A Ceia Do Senhor?

Um dia antes que Jesus fosse crucificado, Ele mandou aos Seus discípulos que comemorassem a Santa Ceia, ou Ceia do Senhor. (Mateus 26:16-30; Marcos 14:22-25; Lucas 22:14-20)

Paulo faz mencionar sobre isto quando escreve: “Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi entregue, tomou pão; e, tendo dado graças, o dividiu, e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo, que por vós é partido; fazei isto em memória de mim. Também tomou o cálice, depois de cear, dizendo: Este cálice é o novo pacto no meu sangue; fazei isto todas as vezes que o beberdes, em memória de mim. Portanto, todas as vezes que comerdes deste pão, e beberdes deste cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha. Assim, qualquer que comer este pão ou beber este cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Portanto, seja cada um por si, e coma do pão, e beba do cálice. Porque o que come e bebe indignamente, sem discernir o corpo do Senhor, come e bebe para si.” 1 Coríntios 11:23-29.

A Ceia do Senhor: Em memória de Jesus

A Santa Ceia é um testemunho. Por meio dela testifico que Jesus tem partido Seu corpo e derramado Seu sangue por mim; e assim proclamo a morte de Cristo. Isto deveria ser feito em memória Dele. Quando parto o pão faço memória a como Seu corpo foi partido por mim. Quando tomo do cálice faço memória do derramamento de Seu sangue por causa de mim para perdão dos pecados. Ao mesmo tempo, testifico que também recebi esse dom, ou essa graça. Não comemoramos a Santa Ceia para receber perdão dos meus pecados, mas porque já recebi perdão por eles.

Comer e beber indignamente

Deus não perdoará as minhas ofensas se eu não perdoar aqueles que me ofendem. (Mateus 6:15) “Portanto, cada um coma do pão, e beba do cálice.” 1 Coríntios 11:28. Se não posso perdoar uma pessoa, não sou digno de receber perdão. Se não perdoar e tomar do cálice testemunho contra mim mesmo, e me condeno.

No tempo de nossa peregrinação deveríamos nos conduzir em temor, porque fomos resgatados de nossa vã maneira de viver pelo sangue precioso de Cristo. (1 Pedro 1:17-19) Cada pessoa deve examinar-se a si mesmo para ver se, na verdade, odeia toda maneira vã de viver, e assim ser digno de partir o pão, e beber do cálice. Se há algo errado em minha vida que eu amo e não quero deixar, então eu como e bebo indignamente. Jesus deu Seu sangue para me resgatar. Se desejo permanecer na minha maldade, serei condenado, e peco contra o corpo e o sangue do Senhor.

Comunhão: Um corpo

“O cálice de bênção que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos, não é porventura a comunhão do corpo de Cristo?  Sendo um só o pão, nós, sendo muitos, somos um corpo; pois todos participamos daquele mesmo pão.” 1 Coríntios 10:16-17. Todos Os que partem o pão testificam que não se servem a si mesmos, senão uns aos outros. Partindo o pão testifico que não vivo para mim mesmo, mas para os outros, e que estou disposto a receber toda a ajuda para salvação que eles me possam dar; porque comemos de um só pão. Que cada um se examine a si mesmo, e logo parta o pão.

Assim como Ele pôs Sua vida por nós, também nós devemos pôr nossas vidas uns pelos outros. (1 João 3:16) Quando como e bebo do cálice, proclamo que dou minha vida por aqueles que também verdadeiramente comem do mesmo pão, pois juntos anunciamos a morte do Senhor. Quando proclamo Sua morte, ao mesmo tempo anuncio que eu morri com Ele e já não vivo para mim mesmo, mas para Ele que morreu por mim e ressuscitou dentre os mortos. (2 Coríntios 5:15)

Assim como um membro dispõe aos outros membros toda a força e o alimento que recebe do corpo, assim também devemos dar aos outros membros todo o amor, a sabedoria, a força, a graça, a misericórdia, a longanimidade e a fidelidade que recebemos de Cristo. Se não estamos dispostos a amar, também não somos dignos de receber amor. (1 João 4:11) Se não estamos dispostos a ser misericordiosos, a perdoar, a ser indulgentes, solícitos e perseverantes, então também não somos dignos de receber estas bênçãos.

Experimente cada um a si mesmo, e coma assim do pão, e beba do copo.

Este artigo foi traduzido do norueguês, e é uma versão editada de um artigo publicado pela primeira vez no jornal oficial da BCC “Skjulte Skatter” (“Tesouros escondidos”) em Janeiro de 1933, com o título “A Ceia do Senhor.”

p

 O que é a Santa ceia, ou a Ceia do Senhor?