O Que É A Santificação E Como Posso Ser Santificado?

Uma transformação radical

As Escrituras deixam claro que a santificação é vital para o desenvolvimento da vida de um cristão, e não há dúvida de que Deus deseja que nós tomemos parte dela, assim como lemos em 2 Tessalonicenses “. Irmãos amados pelo Senhor, de que Deus vos tenha escolhido desde o princípio para a salvação, mediante a santificação pelo Espírito e a fé na verdade, a que vos chamou mediante nosso evangelho, para alcançar a glória de nosso Senhor Jesus Cristo.”  Por esta razão, devemos participar da santificação, com base também nas palavras sérias de Hebreus 12:14: “Segui a paz com todos, e a santidade, sem a qual ninguém verá o Senhor.”

Mas, o que é exatamente a santificação?

Santificação é outro termo de santidade (ser santo), mas certamente não nos tornamos santos da noite para o dia. De fato, algo drástico tem que acontecer em nós para mudar o que somos por natureza, o que é chamado de ser santo, assim como Ele é santo. (1 Pedro 1:15-16) É necessária uma transformação radical. Esta transformação é um processo contínuo e de toda a vida. A este processo chama-se santificação.

Vitória sobre o pecado consciente

A vida de um cristão começa com a reconciliação. Se nos arrependemos verdadeiramente dos pecados que cometemos, Deus nos perdoa por causa de Jesus. É fantástico experimentar isso, no entanto, depois de experimentar isso, descobrimos que ainda somos tentados a pecar, mas é exatamente aí que eu tenho que lutar para vencer a tentação. Pelo poder do Espírito Santo e fidelidade em minhas lutas, podemos chegar a uma vida em completa vitória sobre todo pecado consciente – isto é, vitória sobre os pensamentos, as atitudes e ações que sabemos que estão mal no momento de tentação.

Lemos em Romanos 6:22: “Mas agora que fostes libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes por vosso fruto a santificação, e como fim, a vida eterna.” 

Vitória sobre o pecado inconsciente

À medida que nos apresentamos ao serviço de Deus nos damos conta de outra coisa; que apesar de termos sido libertados do pecado – livres do pecado consciente – ainda temos pecado em nossa carne, tal como o apóstolo João menciona claramente em 1 João 1:8: “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós.”  Nossa carne, nossa natureza humana, tem a tendência de pecar, e não nos damos conta disto até que o pecado vem em forma de tentação ou quando o Espírito Santo de Deus nos revela isso. No entanto, é claro que há uma diferença entre cometer pecado conscientemente e “ter pecado na carne”

Todo fruto cresce de uma semente, e para que o “fruto de santidade” cresça, a semente de nossa própria vida – nossa própria vontade – tem que ser semeada, e depois morrer. “Em verdade, em verdade vos digo, se o grão de trigo não cai na terra e morre, fica só; mas se morre, leva muito fruto.” João 12:24. O apóstolo Paulo faz uma forte e clara declaração em Gálatas 2:20: “Com Cristo estou juntamente crucificado, e já não vivo eu, mas vive Cristo em mim; e o que agora vivo na carne, vivo-o na fé do Filho de Deus, que me amou e se entregou a si mesmo por mim.” Estamos odiando nosso próprio eu – nossa própria vontade? Se assim for, então estaremos dispostos a semear a nossa vontade até à morte, para que uma nova vida possa crescer.

Dito em poucas palavras, vitória sobre o pecado é vencer todos os desejos pecaminosos em nossa carne quando eles são revelados no momento da tentação. Mas a santificação de um discípulo não pára aqui. A santificação continua com o processo de lidar com o pecado que nos é revelado depois de ter feito ou dito algo errado – este é o peso e o pecado que nos persegue mesmo quando temos feito uma boa obra ou temos as melhores intenções. Se dissemos, fizemos ou pensamos algo mau então tal pecado tem que ser posto na morte (ser julgado e negá-lo por minha mente conscientemente) para que o fruto de santidade possa crescer.

O pecado que “nos assedia”

Está escrito em Salmos 119:105, “Lâmpada é aos meus pés a tua palavra, e luz ao meu caminho.”  Na luz da Palavra de Deus, e através da ajuda do Espírito Santo podemos ver mais do pecado em nossa natureza. Mesmo quando nos propusemos fazer o bem ou ajudar alguém pode sair um tom de voz algo duro, palavras desagradáveis, comentários sem sentido, etc. Fizemos o que odiamos, mas o vimos até depois de fazê-lo. Estas são as obras a que Paulo se refere em Romanos 8:13, as obras da carne (obras do corpo).  “mas se andarmos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.”  1 João 1:7.

Pouco a pouco, andando na Luz (estando de acordo com o juízo de Deus sobre meu pecado e sendo obediente levando à morte o que Ele me revela), o pecado é limpo; e as virtudes de Cristo, Sua vida e Suas qualidades podem crescer em mim para serem transformados mais e mais conforme Sua imagem! Esta é uma esperança incrível e verdadeira para todos os cristãos que querem ser transformados.

Uma nova natureza: As virtudes de Cristo

Por meio desta transformação nossa natureza humana e todas as suas horríveis tendências se tornam santas! Pois a esperança do evangelho é clara:  “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que segundo sua grande misericórdia nos fez renascer para uma esperança viva, pela ressurreição de Jesus Cristo dos mortos, para uma herança incorruptível, incontaminada e imaterial, reservada nos céus para vós.”  2 Pedro 1:3-4.

Deus está sumamente interessado em ajudar-nos a andar pelo caminho da santificação. Mas a nós cabe querer e reconhecer que precisamos de ajuda para isso, depois, temos que andar em obediência à Palavra de Deus e ao Espírito Santo, em fé que “quem começou em vós a boa obra, a aperfeiçoará até o dia de Jesus Cristo.” Filipenses 1:6

 O que é a santificação e como posso ser santificado?