Onde Encontro Uma Vida Que Me Leve À Eternidade?

Uma vida que leva à eternidade

“Não ameis o mundo, nem as coisas que estão no mundo. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, as concupiscências da carne, as concupiscências dos olhos e a glória da vida, não provém do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e seus desejos; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” 1 João 2:15-17.

Aí o temos. Neste mundo não há outra vida que conduza à eternidade mais que a que é conforme à vontade de Deus.

A que se refere o apóstolo quando diz que os desejos da carne, os desejos dos olhos e a vanglória da vida não provêm do Pai mas sim do mundo? Significa que não são do Pai, nosso criador, do qual nos deu a vida, mas daquele que está por detrás deste desejo insaciável; este é o deus deste mundo, do qual Jesus diz: “O ladrão não vem senão para roubar e matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e para que a tenham em abundância.”  João 10:10. Um deles te rouba, o outro te enriquece. O ladrão rouba a alegria na vida, assassina a vontade de viver e destrói teu futuro.

Os desejos não podem satisfazer-se

É necessário ter na vida este entendimento básico. Não podemos evitar ter desejos e paixões em nossa carne. Mas devemos estar conscientes de que estão ali como resultado da queda. Fomos criados com sentidos que Deus quis que fossem usados para deleitar e apreciar a criação, em toda pureza. Por exemplo, Paulo escreve sobre a comida: “. que Deus criou para que com ação de graças participassem deles os crentes e os que conheceram a verdade.” 1 Timóteo 4:3.

Uma necessidade natural satisfeita pode ser recebida com ação de graças, ou seja, com gratidão. Mas um desejo da carne não pode ser satisfeito, com agradecimento. É insaciável e imparável, como um fogo que exige cada vez mais. O desejo não nos dá nada; só toma, te deixa nu até os ossos, sem alegria nem satisfação.

Judas escreve sobre os resultados que dão estes desejos: “Estes são murmuradores, querellosos, que andam segundo seus próprios desejos.” Judas 1:16. Talvez possa pensar que viver segundo os próprios desejos e paixões, fariam você ser agradecido e feliz, mas o fruto do desejo são queixas, insatisfação, decepção e amargura. Tal vida não leva à eternidade.

O fruto do agradecimento

A boa notícia é que este desejo pode ser crucificado pela fé, pois “aqueles que são de Cristo crucificaram a carne com suas paixões e desejos.” Gálatas 5:24. O fruto de crucificar as paixões e desejos é o agradecimento, que é um dos frutos da vida e da justiça. ¡ Você recebeu algo, ficou rico e pode responder agradecendo!

“E este é o testemunho: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho.” 1 João 5:11. É só uma vida vivida em comunhão com o Filho e em obediência a Ele o que nos conduz à eternidade.

Somente olha algumas das promessas do evangelho: Vida em abundância! Faça a vontade de Deus e. permaneça para sempre!

 Onde encontro uma vida que me leve à eternidade?