Posso Realmente Ser Livre Do Pecado?

Em Romanos 7, o apóstolo Paulo fala de fazer o que se odeia, mas é o mesmo que escreve sobre ser completamente livre do pecado. (Romanos 6:22)

Neste contexto, “tendo sido libertados do pecado” significa que fomos libertados do poder do pecado. O pecado já não reina sobre nós! (Romanos 6:12)

Você sentiu o pecado como uma força poderosa em sua vida? É claramente evidente que o pecado, que herdamos por causa da queda, está presente em nossos membros – podemos vê-lo nas coisas que dizemos e fazemos. Naturalmente, estamos muito longe da pureza que está em Cristo. ¡ No entanto, a Palavra de Deus também deixa claro que não temos que obedecer ao pecado em seus desejos!

Tornamo-nos escravos daquele que obedecemos, seja do pecado para morte, ou da justiça para vida e paz. Quando escolhemos servir a Deus e ter um sentimento para fazer sua vontade, vemos que há duas forças em nossa carne mortal. Por um lado, tenho as riquezas indescritíveis da “abundância da graça e do dom da justiça”, mas também tenho “outra lei em meus membros”: minha própria natureza pecaminosa. (Romanos 5:17 e Romanos 7:23)

É a minha escolha se eu quiser ser livre do pecado!

Eu sou aquele que decide a quem vou servir. É uma questão de minha própria vontade. _BAR_ Não posso evitar a tentação, mas não tenho que obedecer!

Cada um é tentado quando de seus próprios desejos é atraído. (Tiago 1:14) O desejo que nos atrai é o pecado em nossa própria carne (nossa própria natureza pecaminosa). No entanto, há algumas pequenas palavras às quais devemos prestar muita atenção: “Então a concupiscência, depois que concebeu, dá à luz o pecado.” Tiago 1:15. Podemos receber poder de Deus para vencer quando somos tentados, de modo que este “então” não nos leve a cometer pecado! A tentação só pode nos fazer cometer pecado se cedermos diante dela (ou seja, estar de acordo com ela). No entanto, isto é o que já não queremos. Pelo contrário, nossa mente e vontade são para servir à lei de Deus. (Romanos 7:25)

Paulo disse que tinha uma mente e estava disposto a fazer a vontade de Deus, e no mesmo versículo diz que serve à lei do pecado com sua carne. Em outras palavras, serve à lei de Deus com sua mente e, ao mesmo tempo, serve à lei do pecado com sua carne. O que isso significa?

“Fazemos as coisas que odiamos”

Se relacionarmos estes versículos com nossa vida cotidiana, poderemos compreendê-lo melhor. Pense na pessoa mais espiritual que você conhece. Ela se esforça ao máximo para obedecer a Deus, e tem feito grandes coisas. No entanto, quando você começa a conhecê-lo melhor, você começa a ver muitos aspectos de sua vida que são meramente humanos e que em nenhum caso um resultado do Espírito Santo e da nova vida. Embora todo o desejo desta pessoa é cumprir a vontade de Deus com sua vida, ela continua a fazer coisas que têm a raiz em sua carne (sua natureza pecaminosa). Aqui vemos que servem a “lei do pecado” com sua carne (isto não é o mesmo que a “lei do pecado e a morte” que é o resultado de servir conscientemente ao pecado), apesar de toda sua mente estar posta em servir a “lei de Deus.”

Então, o que você deve fazer com essas obras que vêm de sua própria carne? As Escrituras dão a resposta: Quando vir algo em si mesmo que não é fruto do Espírito Santo, deverá levá-lo à morte – em outras palavras, julgá-lo – porque é o fruto de “outra lei em seus membros.” (Romanos 8:13)

Dois tipos de liberdade

Este exemplo também indica que há na realidade dois tipos de libertação do pecado.

  • A primeira é a libertação da lei do pecado e da morte. (Romanos 8:2) Em Colossenses 2:11 está escrito que nos despojamos “do corpo pecaminoso carnal” (o corpo que cometia e servia ao pecado), pela circuncisão de Cristo. Em outras palavras, deixamos de cometer pecado conscientemente. Esta é a primeira libertação.
  • A segunda liberação é um processo – um crescimento – através do qual nos libertamos gradualmente da “lei do pecado em nossos membros.” A segunda liberação ocorre de forma gradual, como está escrito em Filipenses 3:7-16. Esta liberação é o processo para serem feitos perfeitos. Paulo ainda não tinha sido aperfeiçoado. Ainda servia à lei do pecado com sua carne, apesar de sua mente estar totalmente a serviço da lei de Deus.
  • /ul”

    O fato é que a carne, nossos próprios desejos e paixões pecaminosos, não pode estar sujeita à lei de Deus. Enquanto o menor rastro de carne permanecer em nós, manifestar-se-á de uma maneira ou de outra.

    Segue Jesus!

    O que devemos fazer? A única maneira de acabar com o pecado na carne é ir pelo mesmo caminho que Jesus andou. Está escrito que ele é nosso precursor, e Ele abriu este caminho através da carne para que o seguíssemos. “Pois para isto fostes chamados; porque também Cristo padeceu por nós, deixando-nos exemplo, para que sigais as suas pisadas; o qual não cometeu pecado, nem se achou engano na sua boca.” 1 Pedro 2:21-22. Seguir as pisadas de Jesus significa que já não cometemos pecado de nenhum tipo, e isto é possível através do poder do Espírito Santo, ao negar-nos a nós mesmos e ao odiar os desejos em nossa carne. Então, o pecado que temos é levado à morte em nosso interior, dentro de nós, de modo que nenhum pecado é consumado.

    Devemos prestar atenção em nós mesmos e conscientemente tentar reconhecer qualquer coisa que vem de nossa carne. Tudo isto deve ser condenado e alterado para que, da próxima vez, as nossas acções sejam mais perfeitas. Assim, avançamos de luz em luz e de força em força. Na realidade, somos libertados do pecado!

    “Posto que Cristo padeceu por nós na carne, vós também Rmaos do mesmo pensamento; pois quem padeceu na carne, terminou com o pecado, para não viver o tempo que resta na carne, segundo as concupiscências dos homens, mas segundo a vontade de Deus.” 1 Pedro 4:1-2.

     Posso realmente ser livre do pecado?